13 de fev de 2011

Cantinho do Aluno.

Belas Artes / Histórico

ACADEMIA REAL IMPERIAL DE BELAS ARTES

• Após a Independência do Brasil, em 1822, a escola passou a ser conhecida como Academia Imperial das Belas Artes e, mais tarde, como Academia Imperial de Belas Artes.

• A instituição foi definitivamente instalada em 5 de Novembro de 1826, em edifício próprio à altura da Travessa do Sacramento (atual Avenida Passos), inaugurado por Pedro I do Brasil (1822-1831).

• A criação da Academia Imperial de Belas Artes no Rio de Janeiro, 1826, inaugura o ensino artístico no Brasil em moldes semelhantes aos das academias de artes européias. As academias procuram garantir aos artistas formação científica e humanística, além de treinamento no ofício com aulas de desenho de observação e cópia de moldes.

• São responsáveis, ainda, pela organização de exposições, concursos e prêmios, conservação do patrimônio, criação de pinacotecas e coleções, o que significa o controle da atividade artística e a fixação rígida de padrões de gosto.

• No Brasil, a arte realizada na Academia corresponde, em linhas gerais, a modelos neoclássicos aclimatados, que têm que enfrentar as condições da natureza e da sociedade locais. Entre as várias alterações no modelo encontra-se o predomínio das paisagens entre os pintores acadêmicos no Brasil, a despeito da hierarquia de gêneros que considerava a paisagem secundária.

• No que diz respeito à pintura histórica, vale destacar o papel da ”arte acadêmica nacional" na construção de uma iconografia do Império, sobretudo no período de D. Pedro II(1825-1891), entre 1841 e 1889.

• Parte dos artistas acadêmicos envolve-se na construção de uma memória da nação, de timbre romântico, com a eleição de alguns emblemas: o índio é um dos mais importantes - por exemplo,Moema(1866),de Victor Meirelles,Iracema(1881) de José Maria de Medeiros( 1849-1925) e O Ultimo Tamoio, 1883, de Rodolfo Amoedo(1847-1941).

• A Escola possui dupla face: formar o artista para o exercício das belas-artes e também o artífice para outras atividades.

• Enquanto durou, de 1826 até 1889, teve sete diretores e passou por duas grandes reformas (1831 e 1855), mas é na gestão do pintor Félix Taunay (1795-1881) de 1834 a 1851 - e a do pintor e crítico de arte Porto Alegre (1806 -1879) de 1854 a 1857, que consolidam a academia.

• A fase de Taunay marca a estruturação dos cursos, a criação das Exposições Gerais de Belas Artes em 1840 e a concessão de prêmios de viagem ao exterior, a partir de 1845.

• A era Porto Alegre, primeiro brasileiro a dirigir a instituição, coincide com a tentativa de modernização da academia pela ênfase no estabelecimento de bases teóricas para o ensino, na idéia de nacionalização da biblioteca (transformando-a na memória pictórica brasileira) e na criação de coleções de arte brasileiras.
• Porto Alegre confere importância destacada à pintura de paisagens que deveria, segundo ele, sair da cópia de estampas e dos quadros da pinacoteca e voltar-se para o registro da natureza nacional.

• A defesa feita por Porto Alegre da pintura ao ar livre e do registro realístico da flora e da fauna nacionais encontra sua efetiva realização, décadas depois nas obras do pintor alemão George Grimm (1846-1887) e seu grupo.

• Debret é o pintor mais importante da Aiba nos primeiros tempos.

• Durante sua estada brasileira, observa-se um interesse crescente pelo acompanhamento de aspectos variados da vida social brasileira - o movimento das ruas, o interior das casas, o cotidiano dos escravos etc.

• A pintura histórica encontra nas obras de Victor Meirelles e Pedro Américo seus maiores exemplos.

• Os nomes de Almeida Júnior e Rodolfo Amoedo destacam-se entre os alunos da primeira geração de pintores saídos da AIBA, em função das soluções originais de suas obras.

• Almeida Júnior caminha, a partir de 1879 para a temática regionalista

• Amoedo, por sua vez, produz telas de acentuado tom realista e apelo erótico.

Prof. Angela Motta Tocacelli

21 de jan de 2011

Pensamentos...




Se o meu mundo não fosse humano,


também haveria lugar para mim:


eu seria uma mancha difusa de instintos,


doçuras e ferocidades, uma trêmula irradiação de paz e luta:


se o mundo não fosse humano eu me arranjaria sendo um bicho.


Por um instante então desprezo o lado humano da vida


e experimento a silenciosa alma da vida animal.


É bom, é verdadeiro, ela é a semente do que depois se torna humano.


Clarice Lispector

meu trabalho A6


Ilustração Hidrocor

meu trabalho A5


Ilustração Hidrocor

meu trabalho A4


Ilustração Aquarela

A aquarela é uma técnica muito antiga surgida na China há mais de 2000 anos, cujo aparecimento se supõe esteja relacionado a invenção do papel e do pincel de pêlo de coelho, muito macio.
No Ocidente há indícios que a aquarela existe desde a Idade Média.

Aquarela é o nome da mistura de pigmento em pó colorido com aglutinante (goma arábica) em forma de pastilhas diluído em água ou em bisnagas, as tintas em bisnagas têm brilho mais intenso e não desgastam tanto os pincéis (não é preciso esfregá-los, como nas pastilhas, para se apanhar a tinta).
É um meio de expressão delicado e transparente, mas exige que o aquarelista trabalhe rapidamente, sem se ater a minúcias e sem poder sobrepor a tinta para retoques.
Decida logo no início da pintura onde se situarão as áreas em que o papel ficará em branco e não avance nesses espaços em hipótese alguma, pois o branco da pintura em aquarela é o branco do papel.

Ao secar, a aquarela perde a metade de seu colorido, torna-se pálida e esmaecida quando acabada, apresentando um bonito efeito de transparência, porque nela se utiliza pequena quantidade de cor diluída em muita água. Com a evaporação da água, o papel adquire luminosidade. Pode-se aplicar outras camadas de tinta, até se obter uma coloração mais forte. À medida que se pintam novas camadas, a transparência da aquarela vai desaparecendo, e sua luminosidade pode se anular por completo.

É uma técnica de pintura e os suportes utilizados são os mais variados possíveis, embora o mais comum seja o papel com uma elevada gramatura.

Outros suportes: papiro, casca de árvores, plástico, couro, tecido, madeira, tela.

Alguns papéis especiais para aquarela:
Os papéis mais utilizados em aquarela classificam-se em: Arches Satiné liso, 300g / Fabriano 2G semi-rugoso, 210g / Acqua semi-rugoso, 290g / Fabriano 40GG rugoso, 300g / Arches Torchon rugoso, 300g / Papel Feito à Mão rugoso, 220g.

Há vários tipos de papel próprios para aquarela, em folhas avulsas ou blocos, como o Acqua e alguns feitos à mão. Quase todos são importados. Possuem diferentes características quanto à textura, peso e qualidade.
O papel varia em textura da superfície (porosidade), em peso (gramatura - dependendo de sua espessura) e em tamanho.
Comece a pintar em papel não muito fino e brilhante, e sempre branco ou amarelado, para não estragar a limpidez tão característica da aquarela.
Um bom papel para iniciantes é o Acqua 290g, superfície semi-rugosa, e é vendido em folhas de 50 x 70cm.
Os papéis de boa qualidade, feitos à mão ou industrializados, vêm com uma marca-d’água ou carimbo seco (em relevo) na folha.


Há três tipos de textura:
Áspera (com porosidade acentuada), média e lisa. O papel tende a se enrugar quando molhado e, quanto mais fino, maior essa tendência.
Guarde-o sempre em lugar seco, pois a umidade pode ativar impurezas químicas e alterar sua capacidade de absorção de tinta.


Como preparar o papel:
O papel dceve ser esticado após molhado (mergulhando em água, ou passando uma trincha macia com água em sua superfície.). Com isso o papel fica mais maleável e pode ser esticado sobre uma prancheta de madeira (sem verniz), e fixar com fita gomada ou kgoma arábica ao seu redor. Ao secar o papel fica bem esticado.

Pincel e sua utilização:
No início, bastam três ou quatro, redondos, chatos, grandes e pequenos.
Os de melhor qualidade são os de pêlo de marta. Mas pode-se usar os mistos, com pêlo de marta e de esquilo, ou marta com pêlo de orelha de boi.
Pincéis sintéticos são baratos mas perdem a ponta com facilidade. Pincéis chatos são usados para espalhar a tinta em grandes áreas do papel; os redondos para detalhes e partes aguadas.
Lave-os com bastante água corrente sempre que terminar uma pintura. Molde-os com os dedos para formar uma ponta, de modo que eles não percam a forma ao secar. Coloque-os para secagem em um copo, com as cerdas para cima.



Angela Tocacelli.

Este é um desenho.....

Este é um desenho.....

Desenho 20x20 esferográfica

Este é um desenho, um croqui feito com caneta esferográfica preta em papel sulfite.

Nele coloquei tudo o que queria demonstrar, fiz a linha do horizonte e comecei a desenvolver o desenho, por meio da perspectiva, um elemento fundamental, fornece profundidade e realismo aos desenhos.
Marquei as luzes e as sombras e distribui todos os elemento a fim de formar uma composição agradável.
Gostei do desenho e guardei, hoje faz parte do meu acervo pessoal juntamente com a tela pintada.

Angela Tocacelli

Algumas dicas para iniciantes.....Óleo s/ tela.

Algumas dicas para iniciantes.....Óleo s/ tela.

Paisagem 40x60 óleo s/tela

Você precisa saber desenhar??? Não necessariamente.
Tudo vem com o tempo, com o desenvolvimento das suas habilidades, muiiita pesquisa, muiiita dedicação e muiiita observação.

Precisamos ter noções básicas de desenho, exemplo: saber o que é um triângulo, um retângulo, um círculo, traçar uma linha, um ponto, observar de onde vem a luz e para que lado reflete a sombra.
Noções básicas de cores também, cores primárias, secundárias e terciárias....costumo dizer que aquele que conhece as cores forma paletas de cores inimagináveis e pessoais......isto é importante para quem pinta.

Existem muitas pessoas que têm medo de errar......pois digo: o erro é necessário e produtivo. Use os erros para aprender e acertar nas próximas tentativas.

Não tem mistérios, basta se despojar da autocrítica e pincel a obra......kkkk

Angela Tocacelli

Alguns trabalhos meus

Alguns trabalhos meus.

Pintura em tela: a óleo, acrílico, encáustica, pastel, spray, seja qual for a técnica empregada sobre o suporte, o artista deve sempre estar ligado com seu estilo (acadêmico, contemporâneo, expressionista, impressionista, moderno) e ou outros, mas também antenado com as tendências atuais. Isto contrói patamares e promove novos horizontes ao profissional.


Angela Tocacelli

Artes / Artesanato

Olá, meu nome é Angela Motta Tocacelli, tenho o domínio deste blog, quero que ele tenha uma linguagem simples, que satisfaça as necessidades dos visitantes, e quero também compartilhar meus trabalhos e dos meus alunos, proporcionando momentos agradáveis.